Habilidades do século 21: construir o pensamento crítico através do letramento visual

Habilidades do século 21: construir o pensamento crítico através do letramento visual

7

Uma comunicação feita no I Congresso Internacional da Linguística Aplicada Crítica (International Congress of Critical Applied Linguistics — ICCAL), na Universidade de Brasília- UnB.
Site do congresso: AQUI
Caderno de resumoAQUI
4

Programação em português: pdf log

Programação em Inglês: pdf log

Aqui vou disponibilizar o slide da apresentação e outras informações complementares:

1

1- Slide

PERCURSO DA APRESENTAÇÃO

  • Pensamento crítico
  • Free e-book
  • Letramento visual
  • Pergunta
  • Objetivo
  • Videoclip: um texto multimodal
  • Agência
  • Saber construir perguntas
  • Atividade crítica visual
  • Discussão em pirâmides
  • Avaliação em pares
  • Conclusão

2- Slide

PENSAMENTO CRÍTICO
Pensamento crítico é um raciocínio de complexidade superior, que articula conhecimentos, experiências e competências intelectuais, apresentando-se como uma atividade reflexiva, que envolve aspetos cognitivos e afetivos.

Alich, Pereira & Magalhães, 2014

Free E-book – Pensamento Crítico pdf log
3- Slide
LETRAMENTO VISUAL

Letramento visual é um conjunto de habilidades que permite um indivíduo interpretar, compreender, analisar o contexto cultural, ético, estético e intelectual dos componentes envolvidos na produção e utilização de materiais visuais.

Santos Costa, 2013

4- Slide
Williams (2007) recomenda que os estudantes tenham mais experiências com letramento visual na escola, pois o desenvolvimento de competências visuais aumenta tanto a capacidades de construção de significado e de pensamento crítico.
5- Slide
PERGUNTA
Mas como podem os professores ajudar os alunos a desenvolver o pensamento crítico usando o letramento visual?
6- Slide
OBJETIVO

Oferecer sugestão de um design de atividade  explorando  o gênero videoclip, como um texto multimodal,  e exemplificando técnicas educacionais que podem ser incorporadas em sala de línguas.

7- Slide
VIDEOCLIP: UM TEXTO MULTIMODAL 
A definição de multimodal do Grupo New London (1996)  é a combinação de modos  em uma única composição para ter significado. Mas para ser “um modo” é preciso haver um sentido cultural compartilhado dentro de uma comunidade e todos esses modos realizam funções sociais e são organizados para fazer sentido.
8- Slide
O designer cria estruturas de uma história imagética, através do qual ele expressa ações, eventos, pensamentos, emoções, sentimentos, estilo de vida, humor e valores. Muitas dessas histórias, no vídeo, aparentemente simples, fazem conexão com problemas culturais, políticos e sociais da nossa realidade.
9- Slide
AGÊNCIA
Agência  é um efeito de energia. Para nossa investigação, agência se reconhece na capacidade do sujeito perceber e refletir sobre seu comportamento e o comportamento do outro, planejar e executar ações e modifica-las em respostas às ações percebidas em seu ambiente.
10- Slide
CONTRUIR PERGUNTAS 
Veja a lista de questões na mesma forma que um mecânico vê uma caixa de ferramentas: todas as ferramentas necessárias estão lá, mas ele sabe qual ferramenta utilizar para determinado trabalho.
ferramenta
Lista de algumas perguntas para atividades pensamento crítico:
1-Quem ou o que você vê nesta imagem?
2-Quando este vídeo foi criado?
3-O que está acontecendo no vídeo?
4-Onde o vídeo foi produzido?
5-Quem foi o autor do vídeo?
6-Qual o propósito especial do vídeo?
7-O que está acontecendo nesta imagem?
9-O que a linguagem corporal é mostrada pelas pessoas da imagem?
10-Como isso afeta a sua interpretação do vídeo/ das imagens/?
11-Como você interpreta esta imagem?
12-Por que o autor do vídeo selecciona esses elementos específicos? O que você não vê?
13-Por que o design enfatiza certos elementos e não outros? O que está em foco? É apenas uma pessoa ou um elemento em foco, ou muitos elementos em foco?
14-Quem poderia ser o público principal?
15-O que te faz dizer isso?
16-Há algo no texto / textos que é deixado para a imaginação do leitor?
17-Como é enfatizado no vídeo a ideia principal?
18-Que contraste que o autor mostra na imagem?
19-Com base no que você sabe, lista três coisas que você pode inferir a partir destas imagens
20-Que perguntas você faria em relação a essa imagem?
21-Que tipo de comparação de  igualdade  o autor está mostrando? Explique a metáfora.
22-Qual é a relação entre a imagem e a mensagem de texto exibida?
23-O que é que esta imagem significa para você?
24-Faça um breve resumo do que você sabe sobre as imagens.
25- O que foi deixado de fora da a história?

11- Slide
O CRÍTICO

O crítico, neste trabalho, passa a ser visto como uma análise procurando descobrir os interesses sociais e políticos na produção e recepção das imagens em relação aos efeitos sociais, culturais, de poder e dominação no contexto de vida real dos alunos.

ATIVIDADES VISUAL CRÍTICA EXPLORANDO VIDEOCLIP
12- Slide
Video: Pretty  Hurts
Pretty Hurts é uma canção da cantora norte-americana Beyoncé. A cantora abordou um problema bastante enfrentado pelas mulheres nos dias atuais, como: a pressão por se manter sempre nos padrões de beleza, bulimia, abuso das drogas e uso indiscriminado de métodos cirúrgicos
Assistir o vídeo: 

13- Slide
Pergunta 1
O que está acontecendo nessas imagens?
1
14- Slide
Pergunta 2
O que esssas imagens significam para você?
3
15- Slide
Pergunta 3

3- Faça um breve resumo do que você consegue inferir  sobre essas imagens
4
16- Slide
Pergunta 4
Quem poderia ser o público principal dessa imagem?
5
17- Slide
Pergunta 5
Que tipo de comparação de  igualdade  o autor está mostrando? Explique a metáfora.
6

TÉCNICA: DISCUSSÃO EM PIRÂMIDE 
18- Slide
1-Pedir  respostas individuais  da atividade visual;
2- Reunir em pares para discutir as respostas e encontrar opinião em comum;
3- Formar grupos de quatro, e mais uma vez fazer debates sobres as opiniões;
4- Discutir as questões com a turma ou cada grupo fazer apresentação.
19- Slide
Discussões em pirâmide é uma  atividade oral que envolve os alunos em resolução de problemas com pequenos grupos.

8

20- Slide
Ao final deste processo, os alunos mais fracos podem se sentir um pouco mais confiante em falar. Eles ouviram novas ideias dos pares e grupo. Além disso, eles não estão mais amarradas em suas  ideias originais, eles já defendem a ideia de grupo. A quantidade de argumentação da atividade o alunos aprendem novos vocabulários (Jordan, R.R, 1990). 

AVALIAÇÃO PELOS PARES
21- Slide
Avaliação pelos pares é um processo no qual os  alunos  avaliam o trabalho de seus amigos por escrito  ou oralmente. Ela se refere às muitas maneiras em que os alunos podem compartilhar o seu trabalho com os companheiros para feedback construtivo e, em seguida, usar esse feedback para rever e melhorar o seu trabalho.

Leia mais sobre avaliações pelos pares AQUI (peer assessment)
22- Slide
Avaliação em pares
Os alunos não aprendem avaliar a sua aprendizagem por conta própria. As  estratégias precisam ser ensinadas.
Exemplo de uma rubrica para sala de línguas.
word

CONCLUSÃO
23- Slide
Promover o pensamento crítico do aluno: à medida que aprendem a ler e ver o trabalho dos seus colegas com um “olhar crítico”, eles podem começar a aplicar esse “olhar” para seus próprios trabalhos;
♦Capacitar os alunos para assumir a responsabilidade e gerenciar sua própria aprendizagem;
24- Slide
Melhorar a aprendizagem dos alunos através de troca de ideias;
Motivar os alunos a se envolver com o conteúdo e com as apresentações dos pares;
Promove o fenômeno da agência no estudante e no professor.
7
25- Slide
Obrigada!
9
26- Slide
Bibliografia

JORDAN, R.R. ELT. Journal: Pyramid Discussions. Volume 44, Oxford: Oxford University Press. 1990.

MILLER, C. O que a automação pode nos dizer sobre a agência? IN: A.  Dionisio e J. Hoffnagel (Orgs.). Estudos sobre gênero textual, agência e tecnologia.  Recife: Universitária da UFPE, 2009, pp.177-197.

NEW LONDON GROUP.  A Pedagogy of Multiliteracies: Designing Social Futures. Harvard Educational Review, 66.60-92.1996.

WILLIAMS, T. L. 2007. Reading the painting: Exploring visual literacy in the primary  grades. The Reading Teacher, 60, 636-642.2007.

ALICH, V., PEREIRA, S.,  MAGALHÃES, J.  Promoção do pensamento crítico através de role play e contos infantis. O processo gato das botas. In R. M. Vieira, C. Tenreiro-Vieira, I. Sá-Chaves & C. Machado (Coords.), Pensamento crítico na educação: Perspetivas atuais no panorama internacional (pp. 402-422). Aveiro: UA Editora.2014

Slide Completo

pdf log

0

Giselda’s homepage: AQUI

Projeto Cell at School: AQUI

Anúncios

Celular: um laboratório móvel de ensino de língua estrangeira

1Em novembro de 2013, as professoras de inglês do Instituto Federal do Piauí do Campus Teresina Zona Sul, Eurídice Sobral e Giselda Costa, através do Programa de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica- ProAGRUPAR do Instituto Federal do Piaui- IFPI, receberam R$ 25.000,00 ( vinte e cinco mil reais) como ajuda financeira  para a aquisição de 4710 smartphones LG, headphones Philips e uma Câmara filmadora Sony, dando início o o primeiro laboratório móvel do Campus.

4Celulares são carregados  numa mala e levados para a sala de aula pelos professores sem perder tempo na mudança dos alunos de localização com seus materias de sala de aula. Os alunos também podem ter estes dispositivos e continuar suas atividades em outra parte da escola, se necessário.

O espaço é outra grande vantagem com dispositivos de aprendizagem móvel. AIMG_0652
escola não precisa construir um lugar específico para instalar os celulares como faz com os computadores.As professoras   criam  design    de atividades para  usar o telefone celular em sala de aula  de inglês, com objetivo de melhorar as habilidades linguísticas dos alunos, como:

IMG_0630♦Desenvolver a leitura e as demais habilidades de falar e ouvir falas gravadas pelos alunos;

♦Praticar pronúncia gravando materiais de áudio com o gravador de voz presente nos celulares;
♦Enviar mensagens de texto com conteúdo sob forma de quizzes;
♦Conhecer e comparar as diversas culturas através das imagens dos videoclipes;
♦Utilizar efeitos das imagens dos videoclipes como estímulo ao letramento crítico;
♦Gravar na função vídeo dos celulares as falas em inglês dos alunos;

1
♦Usar o dicionários de inglês para a definição de palavra de forma mais rápida;
♦Captar imagens por meio da câmera fotográfica;
♦Explorar o uso do QR code em sala de línguas.

3

Projeto ainda em andamento, mas segundo a Professora Giselda Costa, o laboratório de línguas móvel é uma ferramenta para inspirar, ensinar, treinar e absorvar a qualidade de excelência na habilidade de comunicação.

5Com este tipo de laboratório o aprendizado se torna mais autônomo e aumenta a proficiência na língua inglesa. A tecnologia móvel ajuda o aluno a aperfeiçoar suas habilidades linguísticas e podem inspirar novas formas de ensinar e aprender para ajudar o aluno a ter sucesso no domínio da língua estrangeira.

Distribuição dos  celulares em sala de aula

Cada aluno é responsável pelo celular que corresponde ao seu número na chamada escolar, veja as fotos abaixo:

3   4

5   6

filme 3Veja um pequeno filme com magisto: AQUI

ifpi

Homepage AQUI 

Appp “Cellatschool”  AQUI