Dois exemplos de “Peer assessment ” na Finlândia

logo

Dois exemplos  de “Peer assessment ” na Finlândia

giselda

Falar sobre avaliação é sempre um desafio. Tivemos várias sessões de Peer assessment  em minha estada na Finlândia, mas neste post eu vou compartilhar com vocês  apenas duas experiências com o tipo de avaliação chamada “Peer assessment  and  feedback”.  Mas o que isto significa ?

Peer assessment (avaliação pelos pares – colegas) é um processo no qual os  alunos  avaliam o trabalho de seus amigos por escrito  ou oralmente.  A avaliação por pares se refere às muitas maneiras em que os alunos podem compartilhar o seu trabalho criativo com os companheiros para feedback construtivo e, em seguida, usar esse feedback para rever e melhorar o seu trabalho.

campus

A primeira  experiência com este tipo de avaliação foi como observadora em uma sala de graduação em informática, da disciplina inglês instrumental, da HAMK University of Applied Science – Campus Valkeakoski. Antes de começar as apresentações, a professora deu instruções claras e estabeleceu prazos para entrega das críticas e sugestões em formato online. Os alunos  receberam os critérios de observação em forma impressa, e em seguida, houve algumas discussões sobre cada critério a ser utilizado, como por exemplo:

  • Sugerir aos alunos usarem os três passos para dar feedback: elogios, sugestões e correções;
  • Exemplificar alguns modelos de enunciados para orientar diferentes tipos de feedback na ferramenta online, tais como, (“Minha parte favorita foi…………. porque ……………………”). Depois de começar com algo positivo, os alunos apontariam as áreas que poderiam ser melhoradas em termos de conteúdo, estilo, voz e clareza (“A sugestão que eu posso oferecer para a melhoria é ………………”).
  • Enfatizar que um “feedback construtivo” é dar a sua opinião sobre áreas que precisam ser melhoradas, sem criticar a pessoa.

Neste contexto, os alunos foram avaliados por escrito e  de forma anônima pelos seus pares.

Vejam o pdf da planilha dos critérios utilizados nesta turma em ingles.pdf log

Eu estava acompanhada com a Professora Kaisa Puhakka.

12

Na segunda experiência  eu fazia parte do processo.  Ajudei na avaliação dos meus6 colegas e fui avaliada também. Tudo aconteceu na disciplina “Learning by design: Integrative learning process designs and constructions”, ministrada pelo professor Mr. Jouni Enqvist.

1O professor construiu uma planilha em sala de aula com os nomes dos alunos que iriam fazer críticas e sugestões dos nossos trabalhos oralmente. Antes de começar esse tipo de avaliação, o professor nos entregou algumas perguntas que nos ajudaram a determinar o tipo de feedback que daríamos aos nossos colegas depois das apresentações.

Vejam as perguntas norteadoras em inglês pdf log

3

111

Professora Essi Ryymin ajudando em outro exemplo de Peer Evaluation Rubric:word

pdf log

Peer Assessment link

Uma rápida conclusão:

Durante o processo desta experiência, além da aprendizagem de novos recursos4 avaliativos, foi possível também fazer uma reflexão sobre minhas avaliações. Esse conjunto de aprendizado e reflexão foi um estímulo para que eu planejasse outros modelos de avaliações quando retornar ao Brasil. Esta oportunidade de ver e dar feedback ao trabalho dos colegas é um processo de avaliação que eu nunca apliquei em sala de aula, mas é uma estratégia que pode nos levar a:

  1. Promover o pensamento crítico do aluno: à medida que aprendem a ler e ver o trabalho dos seus colegas com um “olhar crítico”, eles podem começar a aplicar esse “olhar” para seus próprios trabalhos;
  2. Capacitar os alunos para assumir a responsabilidade e gerenciar sua própria aprendizagem;
  3. Capacitar os alunos a aprender a avaliar e desenvolver competências de avaliação ao longo da vida;
  4. Melhorar a aprendizagem dos alunos através de troca de ideias;
  5. Motivar os alunos a se envolver com o conteúdo e com as apresentações dos pares;
  6. Melhorar habilidades de comunicação e estimula a colaboração;
  7. Envolver os alunos no processo de aprendizagem.
  8. Promove o fenômeno da agência no estudante e no professor: agência é um processo de desenvolvimento pessoal interativo entre agente e ambiente que envolve: autoestima, autoconfiança, exigência pessoal, credibilidade, identidade, subjectividade, autonomia, poder, esforço pessoal entre outros. A agência se reconhece na capacidade do sujeito perceber e refletir sobre seu comportamento e o comportamento do outro, planejar e executar ações e modifica-las em respostas às ações percebidas em seu ambiente.

Uma excelente atividade agentiva. Seja criativo e faça o seu modelo!

O nosso grupo de encontro de ” Peer assessment “..

00

Vocational Education and Training – VET – Professores Para o Futuro II

Eu, Giselda Costa, professora do Instituto Federal do Piauí (IFPI), participo do programa internacional  Vocational Education and Training – VET – professores para o futuro –  com a duração de  5 meses ( fevereiro a junho de 2015) financiado pelo Governo Federal Brasileiro e realizado na HAMK – University of Applied Sciences  na cidade de Hameelinna -Finlândia. A nossa pesquisa tem como base nas experiências de educação profissional do modelo finlandês integrado com setor de inovação e produtividade dos Institutos Federais do Brasil.

Minha homepage: click AQUI

 Mobile CellATSchool PLUS App ( Android) Project: Click AQUI

5

logo

HAMK & TAMK: os professores VET reunidos em Lepaa Campus – Finlândia

VET -teacher for the future

VET -teacher for the future

HAMK & TAMK: os professores VET reunidos em Lepaa Campus – Finlândia

10 e 11 de junho, o nosso grupo de professores VET 2015 das Universidades de TAMK (main campus) e HAMK (Lahdensivu), participamos de um workshop no Campus Leppaa- Finlândia.

1

Lepaa é o instituto-escola de jardinagem e horticultura.  O campus está localizado perto do Lago Vanajavesi, a 17 km de Hämeenlinna e 120 km de Helsinki.

Lepaa Campus 1 Lepaa Campus 2

Lepaa Campus 7 Lepaa Campus 17

Lepaa está rodeado por  jardins com variedade de plantas ornamentais e horticultura. Elas estão numa áreas de 50 hectares mas a área total é de 280 hectares; a maior parte é floresta.As plantas são cultivadas em várias estufas instaladas por todo o campus.

Lepaa Campus 27 Lepaa Campus 45

14 21

As instalações da Lepaa consistem de um edifício principal moderno e vários edifícios adjacentes. Alguns dos edifícios datam de 1910, quando o instituto foi estabelecido.

2-  Almoçamos todos juntos…..

 Lepaa Campus 49  Lepaa Campus 46

   41

5 6

7 8

9 10

11 12

3-  Fizemos  um  rápido tur  pelo Campus….

Lepaa Campus 10 Lepaa Campus 11

Lepaa Campus 12 Lepaa Campus 13

 2Lepaa Campus 3

4- Gelo quebrado: começou o  workshop….

Este evento, teve como objetivo reunir os dois grupos de professores VET para discutir os desafios, propostas e projetos educacionais a serem desenvolvidos quando retornamos aos Institutos Federais brasileiros.Encontro que promoveu vários  debates e diálogos, que de uma forma ou de outra, nos uniu em torno de temas relacionados à Educação e à Tecnologia em nossos campus de trabalho. Apresentamos muitas soluções de problemas em torno de vários temas, entre eles estão:

23 24

Entrepreneurship Education

25 26

Foundations of E-learning in the 21st century  ( plataforma tecnológicas)

27 28

Student-centered vs. teacher-centered approach  

29 30

Project-based learning and learning skills

31 32

5- Jantamos  próximo ao lago Vanajavesi  e depois sauna e banhar  em águas geladas –  uma cultura bem finlandesa.

Lepaa Campus 18 Lepaa campus2

Saunas….(smoke sauna )

Lepaa Campus 6 Lepaa Campus 14

Lago Vanajavesi….

16 17

Lepaa Campus 19 Lepaa Campus 21

Lepaa Campus 20 Lepaa Campus 34

6- No dia seguinte……visitamos a produção de vinhos e espumantes Leppa.

Lepaa Campus 29 Lepaa Campus 31

Lepaa Campus 36 Lepaa Campus 37

Lepaa Campus 38 37

Lepaa Campus 39 Lepaa Campus 40

Lepaa Campus 41Lepaa Campus 53

Lepaa Campus 28 Lepaa Campus 51

Uma rápida conclusão:

Para mim, é essencial que as escolas públicas sejam mais seletivas e cuidadosas ao contratar professores. Aqueles que não gostam de ensinar ou que não têm preparo ou talento para a profissão não deveriam estar lecionando.  Um bom professor é aquele que gosta de ensinar, é comunicativo, criativo e academicamente preparado e qualificado para desempenhar sua função.  Agora, espero que este treinamento, diálogos e reflexões  sejam ferramentas de transformações em nossas praticas pedagógicas, pois  nem todo  treinamento  produz resultado desejado, não é verdade? Tudo vai depender de nossos objetivos e de muita força de vontade. O Piauí está me esperando!

_____________________________

Vocational Education and Training – VET – Professores Para o Futuro II  – 2015

Eu, Giselda Costa, professora do Instituto Federal do Piauí (IFPI), participo do programa internacional Vocational Education and Training – VET – professores para o futuro – com a duração de 5 meses ( fevereiro a junho de 2015) financiado pelo Governo Federal Brasileiro e realizado na HAMK – University of Applied Sciences na cidade de Hameelinna -Finlândia. A nossa pesquisa tem como base nas experiências de educação profissional do modelo finlandês integrado com setor de inovação e produtividade dos Institutos Federais do Brasil.

Minha homepage: Click AQUI

VET -teacher for the future

VET -teacher for the future

Special needs education

VET- Teacher for the future - HAMK - Finland 2015

VET- Teacher for the future – HAMK – Finland 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

Special needs education –  Everybody has needs

Ms Irmeli Lignell, Principal lecturer

Ms Irmeli Lignell, Principal lecturer

Mr Simo Uusinoka, Principal lecturer

Mr Simo Uusinoka, Principal lecturer

Special week

Special week

1- Dia – Thursday 28.5.
Ms Irmeli Lignell

Ms Irmeli Lignell

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

Special needs students are  having a greater impact on the general education teacher.

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

The number of people affected by disabilities is larger than many may imagine

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

All teachers have a need be trained and prepared for the inclusion of special needs students in the general education population.

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

Teachers must be prepared in the instructional setting to adapt instruction for an individual by changing one or more aspects of the material being taught

VET- teacher for the future- 2015

VET- teacher for the future- 2015

38

2 Dia – Friday 29.5
Apresentaçãoes
Special needs education

Special needs education

Ms Irmeli Lignell  & Mr Simo Uusinoka

Ms Irmeli Lignell &
Mr Simo Uusinoka

In Brazil, the concept of an inclusion classroom or school is based upon teaching students with disabilities in regular classrooms, rather than in special schools, classrooms or pull-out locations..

Damione

Damione

Sheylla

Sheylla

Luis e Regina

Luis e Regina

In considering assistive technology in the classroom, the environment, the individual, and the characteristics and levels of the technology must be included

Mr Simo Uusinoka

Mr Simo Uusinoka

VET - Teacher for the future 2015

VET – Teacher for the future 2015

Rodrigo

Rodrigo

Vico

Vico

Roberto

Roberto

At the personally necessary level, a student must have the technology to be able to function, and the technology is only for them

Giselda Costa

Giselda Costa

Minha Apresentação AQUI

Giselda Costa

Giselda Costa

Giselda Costa

Giselda Costa

Giovani e Júlio

Giovani e Júlio

Ivanildo

Ivanildo

Alexandre e Deise

Alexandre e Deise

É certo que os alunos com deficiência constituem uma grande preocupação para os educadores inclusivo, mas todos sabemos que a maioria dos alunos que fracassam na escola são crianças que não vêm do ensino especial.

Cadeira

Cadeira

1

3 Dia – Monday 1.6 

Special needs education, Visit to Kiipula Centre of Vocational Education and Rehabilitation.

4 Dia – Tuesday 2.6.

Special needs education, Visit to Helsinki to the Finnish Association Of People with Physical Disabilities & Hero, The Helsinki Association of Different learners & Cultural Centre Caisa.

5 Dia – Wednesday 3.6.

Blog da disciplina

______________

Eu, Giselda Costa, professora do Instituto Federal do Piauí (IFPI), participo do programa internacional  Vocational Education and Training – VET  com a duração de  5 meses ( fevereiro a junho de 2015) financiado pelo Governo Federal Brasileiro e realizado na HAMK – University of Applied Sciences  na cidade de Hameelinna -Finlândia. A nossa pesquisa tem como base nas experiências de educação profissional do modelo finlandês integrado com setor de inovação e produtividade dos Institutos Federais do Brasil.

Minha homepage: Click AQUI

VET- Teacher for the future - HAMK - Finland 2015

VET- Teacher for the future – HAMK – Finland 2015

Foundations of E-learning in the 21st century

VET -teacher for the future

VET -teacher for the future

Hoje, 26/05/2015,  finalizou a disciplina “Foundations of E-learning in the 21st century“.

Vocational Education and Training – VET – 2015 – HAMK- University of Applied Sciences

1- Approaches to online student-centered learning
Ms. Päivi Aarreniemi-Jokipelto, Haaga-Helia University of Applied Sciences

Ms. Päivi Aarreniemi-Jokipelto, Haaga-Helia University of Applied Sciences

Alexandre

Alexandre

2- Online collaboration
Deise e Ivanildo

Deise e Ivanildo

VET 2015 - HAMK

VET 2015 – HAMK

Júlio

Júlio

3-Social media in online presentations
Roberto

Roberto

VET 2015 - HAMK

VET 2015 – HAMK

4- Mobile tour and gamification
Giselda

Giselda

VET 2015- HAMK

VET 2015- HAMK

VET 2015- HAMK

VET 2015- HAMK

VET 2015 -HAMK

VET 2015 -HAMK

Diego

Diego

5-Online project-based learning
VET 2015 - HAMK

VET 2015 – HAMK

Damione - Rodrigo e Sheylla

Damione – Rodrigo e Sheylla

7- Utilizing emerging technologies to provide expanded learning opportunities is critical to the success of future generations.
Luis

Luis

VET 2015 - HAMK

VET 2015 – HAMK

Fabiana

Fabiana

VET 2015- HAMK

VET 2015- HAMK

Regina e Giovani

Regina e Giovani

Giselda e  Päivi

Giselda e Päivi

Thanks  Päivi!

Thanks Päivi!

My Home page: Click AQUI

Eu, Giselda Costa, professora do Instituto Federal do Piauí (IFPI), participo do programa internacional  Vocational Education and Training – VET  com a duração de  5 meses ( fevereiro a junho de 2015) financiado pelo Governo Federal Brasileiro e realizado na HAMK – University of Applied Sciences  na cidade de Hameelinna -Finlândia. A nossa pesquisa tem como base nas experiências de educação profissional do modelo finlandês integrado com setor de inovação e produtividade dos Institutos Federais do Brasil.

VET -teacher for the future

VET -teacher for the future

Minha experiência real no sistema educacional finlandês

“Where there is supportive school collaboration, teachers improve their skills with visible effects on student learning.” (Karagiannis et al. 1996)

Seminaari Elementary School- Hameelinna-Fi

Seminaari Elementary School- Hameelinna-Fi

Eu, Giselda Costa, professora do Instituto Federal do Piauí (IFPI), participo do programa internacional  Vocational Education and Training – VET  com a duração de  5 meses ( fevereiro a junho de 2015) financiado pelo Governo Federal Brasileiro e realizado na HAMK – University of Applied Sciences  na cidade de Hameelinna -Finlândia. A nossa pesquisa tem como base nas experiências de educação profissional do modelo finlandês integrado com setor de inovação e produtividade dos Institutos Federais do Brasil.

Hoje, 20  de maio de 2015,  tive uma experiência bem real no sistema educacional  finlandês. Fui visitar o  “Seminaari elementary school”. É uma escola pública composta de 700  alunos, 47 professores e 25 assistentes. Os estudantes têm 190 dias de aulas por ano, 38 semanas.

8

Os finlandeses consideram a educação como algo muito importante e têm também uma visão bastante positiva da educação básica. Na Finlândia, a origem familiar do aluno não afeta a sua seleção para o ensino básico. A situação socioeconômica dos pais tem pouca influência sobre a seleção das escolas, no estágio da educação básica (na faixa etária de 7 a 16 anos).

Sala dos professores

Sala dos professores

Sala dos professores

Sala dos professores

Sala dos Professores

Sala dos Professores

Não vou fazer comparação entre o sistema educacional brasileiro e o finlandês  neste post, pois não é o meu foco  de pesquisa, mas quero deixar alguns depoimentos dos profissionais que fazem a escola:

1- Reuniões regulares da equipe de professores;

2- Todos os membros contribuem para o desenvolvimento de estratégias e ideias para atingir as metas educacionais  definidas mutuamente;

3- Entendimento comum entre as equipes educacionais;

4- Flexibilidade em sala de aula;

5 -Respeito mútuo entre as pessoas;

6- Comunicação efetiva entre as equipes de professores  e alunos;

7- Usam orientação para a ação.

Seminaari Elementary School

Para os  professores da escola ter reunião regular ajuda a equipe a ficar em contato com todas as mudanças e resolver problemas e  preocupações que surgem. A frequência das reuniões dependerá das necessidades dos alunos e professores. As reuniões regulares garantem a comunicação contínua  entre todos.

O que vi e fiquei feliz….. 

Professora de ciência explicando em inglês

Professora de ciência explicando em inglês

Muitas tecnologias em sala de aula

Muitas tecnologias em sala de aula

Todas as turmas  há quadro interativo

Todas as turmas há quadro interativo

Professores com problemas vocal tem seu microfone

Professor com problema  vocal tem seu microfone

equipamento  de som do microfone do professor

equipamento de som do microfone do professor

A mesa do professor

A mesa do professor

Aluna fazendo tricô.. na hora vaga...

Aluna fazendo tricô.. na hora vaga…

Aluna lendo na hora vaga

Aluna lendo na hora vaga

Alunas conversando descontraidas

Alunas conversando descontraidas

Sem fardamento e criativo

Sem fardamento e criativo

Uma carteira bem criativa

Uma carteira  bem criativa

Aula de Inglês - brincando

Aula de Inglês – brincando

Professora explicando aula de matemática em inglês

Professora explicando aula de matemática em inglês

Giselda sendo entrevistada  sobre o Brasil

Giselda sendo entrevistada sobre o Brasil

Giselda em uma sala real na Finlândia

Giselda em uma sala real na Finlândia

Segundo a professora Ana maria, todos os membros da equipe precisam  ser comprometidos e trabalhar para os mesmos objetivos educacionais. Muito  importante também  manter o foco em objetivos comuns da escola e ter respeito mútuo para ter um funcionamento saudável  da equipe.

É importante para as equipes estabelecer estratégias eficazes para se comunicar. Fazer uso de uma gama de ferramentas de comunicação e tecnologia em sala de aula e sempre se  manter  informado  das responsabilidades e tarefas acordadas.

Muito obrigada por toda dedicação e atenção:

Kaisa Puhakka - minha orientadora finlandesa

Kaisa Puhakka – minha orientadora finlandesa

Professora Ana Maria Jokiniemi

Professora Ana Maria Jokiniemi

Professora Heidi Leivonsalo

Professora Heidi Leivonsalo

Seminaari Elementary School- Hameelinna-Fi

Seminaari Elementary School- Hameelinna-Fi

IFPI

Click AQUI para ver minha homepage

A challenge: understand what is dialogical method

Font: Google.com

Font: Google.com

What is Liisa trying to teach me ? I asked me in my first class about Dialogic Metod. First, I thought it was verbal interaction according to linguistic studies. It was not what I had thought ( rsrsrs)…My biggest confusion was the concept of the word “Dialogue” that time. The word “dialogue” should have another name in this context, I think – rsrsrsr.

Now, after some reading, I have understood that  this metod goes far beyond what is proposed in the  verbal interaction (in linguistics), but they are elements which complement and support one another.  Verbal interaction has many purposes, but its main function is relaying a message to one or more recipients. It encompasses everything from simple one-syllable sounds to complex discussions and relies on both language and emotion to produce the desired effect. It can be used to inform, inquire, argue and discuss topics of all kinds. It is vital to teaching and learning, as well as forming bonds and building relationships with other people.

Dialogical method it is cooperative activity of reflection, transformation and sharing of idea. Turn into new ideas through collective reflections in the conversation. On the other hand, a methodology that enables people “thinking and learning together”.  it is not an instrument that allows people to defend and maintain their positions, as takes place in the discussion and argumentation. The dynamics of the dialogue is focused on connections, collective reflection, mutual education and sharing pont of view. We can not forget that educational practice can be derived from our observations and reflection of real life.

In class, we have discussed that dialogue is “learning to listen” too. The person needs to be heard without being interrupted, either to agree or to disagree with what he says. Besides that, the silence – individual or collective – also is part of the dialogue. It is important to understand what the speech, silence or body language means in human communication.

According Gorden (1980), there are four basic modes of non-verbal communication:
Proxemics (Proxemic communication is communicating with others by virtue of the relative positioning of your bodies- You can use physical space to communicate many different nonverbal messages, including signals of intimacy and affection, aggression or dominance.), Chronemics (the use of stimulation of speech and the silence duration in conversation), Paralinguistic (all variations of volume, tone and voice quality that accompany the speech – When we speak, other people “read” our voices in addition to listening to our words- Think about how someone’s tone of voice, for example, can indicate sarcasm, anger, affection, or confidence.) and  Kinesics ( This type of nonverbal communication includes your posture, bearing, stance, and subtle movements – Facial expressions – Eye contact ).

The ability to understand and use nonverbal communication, or body language, is a powerful tool that can help you connect with others, express what you really mean, and build better relationships.

Reference:

GORDEN, R. L. Interviewing strategy, techniques, and tactics.Homewood, IL: Dorsey. 1980.

Font: Google.com

Font: Google.com

Lessons From Finland: What Educators Can Learn About Leadership

90

The following is an excerpt from Teacherpreneurs: Innovative Teachers Who Lead But Don’t Leave, by Barnett Berry and Ann Byrd, and Alan Wieder. This excerpt focuses on how educators in Finland see themselves as leaders.

Noah Zeichner and Lori Nazareno, American teachers, were at the Finnish Lessons conference in Seattle as well, and we all had a school reform conversation with Marianna that pushed our thinking about the propsects for teacher leadership and teacherpreneurism in the United States. As a former communication expert who now has taught for eight years, Marianna drew on her experiences both as a media consultant and a public school teacher in defining her vision for the teaching profession. See the article HERE